Piatã FM 94,3 - A Rádio da Gente

CLIQUE E OUÇA Agora na Piatã FM - Madrugada Piatã

Entretenimento   09 de Agosto de 2018 - Publicado às 12:39

A dor e a delícia de ter os stories mais assistidos do Brasil

Atrás apenas de Kim Kardashian no ranking mundial, a fama de Carlinhos Maia atraiu a atenção de sua família biológica, que pede dinheiro

O alagoano Carlinhos Maia, 27 anos, ocupa o segundo lugar no ranking de stories mais vistos no Instagram, ferramenta que completou 2 anos de existência na quinta passada (2).  Intitulado o ‘Rei do Instagram’, só não é páreo para Kim Kardashian — pioneira de um império virtual de que todo seu clã participa. No Brasil, ele é o número 1.

No início da semana, seu nome voltou ao noticiário após sua mãe biológica acusá-lo de não ajudá-la financeiramente, o que causou a revolta do instagrammer. Ele publicou uma série de stories relembrando do papel dos pais adotivos em sua vida e falando que vai processar quem for à imprensa caluniá-lo por suas relações com a família biológica (assista abaixo).

Com esquetes pouco produzidas que retratam temas bastante cotidianos, Carlinhos conta ao #VirouViral as dificuldades que vieram com a fama na web e de seu segredo para o sucesso.

Parente é serpente
Natural de Penedo, município de Alagoas com menos de 70.000 habitantes às margens do rio São Francisco, Carlinhos Maia foi adotado ainda bebê pelo casal Maria e Virgílio. Não foi o único filho de sua mãe biológica a ser entregue para outras pessoas. Segundo ele, sua conexão com a família de sangue era nula até pouco tempo atrás: “Cheguei a conhecer minha mãe biológica. Sabe como é, né, bem coisa de filme: veio a fama e as pessoas voltaram a me procurar, procurar dinheiro. Mas prefiro me manter longe, não vou fingir um amor que eu não tenho”, diz.

Nos últimos dias, vieram à tona algumas declarações públicas dessa família de sangue. Acompanhada por um tio de Carlinhos, que conduz o vídeo, a mãe biológica do influenciador reclama de abandono, dizendo que Carlinhos teria sim contato com ela ao longo dos últimos anos. A afirmação é negada veementemente pelo alagoano, que ainda afirma na série de stories: “Nem para o meu pai e para a minha mãe que estão comigo todos os dias eu saio dando dinheiro assim, como pode um negócio desse? A pessoa aparecer depois de 27 anos querendo dinheiro?”




Esse tipo de assunto destoa do conteúdo da conta, que retrata seu dia-a-dia na cidade natal, onde ainda mora, e as novas aventuras trazidas pelo sucesso. Apegado às raízes, Carlinhos não poupa elogios aos pais adotivos: “Acreditar que o amor existe. Essa é maior lição que eles me deram. Tem uma prova de amor maior que criar o filho de uma outra pessoa?”.

Humor de mãe
Além do suporte emocional, Carlinhos destaca sua mãe como uma inspiração humorística de sua infância. “Minha mãe adotiva é a verdadeira protagonista do meu sucesso. Ela sim é engraçada”, se desfaz em elogios. Tímido quando criança, a veia cômica do próprio alagoano começou a ser desenvolvida há pouco tempo: “Estou aprendendo isso de fazer comédia. Eu sempre digo que não sou humorista, peço pra que me chamem de diretor de humoristas. O que consigo é tirar esse lado engraçado dos que estão a minha volta.”

Seu início de carreira foi no Facebook, quando ainda trabalhava como radialista em Penedo, mesmo sem formação específica. Foi quando migrou para o Instagram que o número de seguidores explodiu: em 1 ano e meio, já são mais de 8 milhões — quase 5 milhões a mais do que tinha ano passado.

Em muitas contas, esse tipo de aumento desproporcional se deve a compra de seguidores, mas Carlinhos se esquiva da polêmica: “nunca pensei nisso porque nem sabia que existia também, nem sei como funciona. Meu foco nunca foi isso de listas, de números, era só fazer meu trabalho.” Com a saturação constante dos conteúdos online, ele atribui o sucesso à espontaneidade e vontade de inovar: “Criei novos personagens, novos quadros e o público foi cada vez mais aumentando. Mas acho que cresci pela naturalidade mesmo e porque tudo que eu posto lá é muito verdadeiro.”

A comédia nordestina
Carlinhos investe em um humor clássico nordestino, que brinca com o despropositado, acessível. Tirulipa e o youtuber Whindersson Nunes, outro grande nome da internet, são os maiores companheiros de seu conteúdo, participando inclusive de seu programa de televisão, a ser lançado ano que vem. Segundo ele, o formato vai ser semelhante ao do clássico pastelão americano Família Buscapé.

A referência americana é exceção nas preferências do humorista. Ele frisa que a inspiração se limita ao programa, já que em sua infância gostava mesmo era dos Trapalhões, liderados por Didi Mocó.  Hoje em dia continua um pouco distante do conteúdo estrangeiro. Ao citar ‘storizeiros’ favoritos, não passam pela sua boca nomes internacionais: “gosto muito da GKay, Géssica Kayane, uma paraibana bem arretada. E do David Brasil, acho ele bem espontâneo, engraçado.” Em um momento de plena expansão da carreira, Carlinhos expande fronteiras sem tirar os olhos de seu país: “Valorizo muito os brasileiros, não me ligo tanto no que acontece fora porque sou muito inspirado em todo mundo que consegue fazer sucesso aqui.”

Humildão
Apadrinhado por Simone, da dupla sertaneja com Simaria, uma espécie de guia no mundo artístico, Carlinhos também é fã de Anitta e bandas antigas de forró, como Calcinha Preta, mais uma mostra de seu apego com as raízes. Só que crescendo para além delas, agora dividindo a lista com celebridades globais, a próxima meta é deixar Kim Kardashian para trás? “Claro que todo mundo quer ser o primeiro, mas meu foco é me reinventar. Se a Kim não se reinventa, ela também não se mantém. Acho que isso que pode manter a gente no topo.”



Fonte: Veja / Foto: João Caldas/Reprodução


VEJA TAMBÉM

ÁUDIOSEspecial Piatã FM - ImaginaSamba