Piatã FM 94,3 - A Rádio da Gente

CLIQUE E OUÇA Agora na Piatã FM - Madrugada Piatã

Saúde   15 de Maio de 2019 - Publicado às 06:32

Descubra como a música reduz a ansiedade e mexe com seu cérebro

A música te torna mais produtivo no trabalho

Ao longo dos séculos, o uso terapêutico da música tem sido usado para relaxar e restaurar a saúde. Recentemente, pesquisadores e curadores da Mindlab, consultoria britânica especializada em soluções em neurociência para empresas, comprovaram cientificamente a tese.

Para tal, eles conduziram um estudo no qual os participantes tinham de resolver um quebra-cabeça complexo o mais rápido o possível, enquanto ouviam diferentes tipos de música. Os voluntários do experimento foram conectados a sensores capazes de medir a atividade do cérebro, pressão sanguínea e respiração. A intenção era descobrir quais sons causavam sensação de relaxamento, mesmo diante de uma tarefa tecnicamente estressante.

A canção que produziu o melhor resultado foi Weightless [Sem Peso, em tradução livre], do trio britânico Marconi Union. Quando expostos a essa trilha sonora, os participantes chegaram a apresentar nível de ansiedade 65% menor do que o registrado anteriormente.

Weightless foi feita com a colaboração de terapeutas. Segundo os pesquisadores, o compasso lento e os tons graves diminuem os batimentos cardíacos e os níveis de cortisol – o hormônio do estresse e da ansiedade – na corrente sanguínea.

Música e produtividade
Uma mente sã, inevitavelmente, tem a capacidade de produtividade ainda mais elevada. E neste quesito, a música tem um poder incomum! Além de diminuir ansiedade, as canções estimulam a memória e o aumento na performance cerebral. Disto isto, chegou a hora de conversarmos sobre os pontos em que as obras musicais fazem a diferença.

Mantendo o foco
Se a tarefa for entediante, certamente, você perderá o foco. De acordo com o neurocientista e autor do livro This Is Your Bain on Music [A Música no Seu Cérebro, em português], Daniel Joseph Levitin, a música pode tornar tarefas repetitivas mais agradáveis e aumentar a sua concentração.

De acordo com um estudo científico publicado em 2011, as regiões do cérebro que são responsáveis por fortes emoções e pelo poder de concentração são mais ativas quando ouvimos uma trilha sonora familiar. As músicas desconhecidas não causam o mesmo impacto e podem até mesmo causar distração, pois, tudo que é inédito, causa curiosidade. Sendo assim, quando precisar manter o foco, procure as playlists formadas por músicas que você conhece bem!

Para dar uma turbinada a mais na manutenção do foco, curtir um som entre uma tarefa pode ser o ideal. Segundo estudo realizado com estudantes, caso fossem ouvidas durante breves momentos de descanso, a exposição à música aumentava significativamente a capacidade de concentração dos jovens. Desta forma, eles tiveram mais facilidade para permanecerem concentrados em textos longos e densos.

A influência da música no humor
Quando ouvimos uma música que gostamos, o nosso cérebro libera uma substância chamada dopamina, que age como neurotransmissor e causa sensação de bem-estar. Basicamente, esse hormônio reduz o estresse e ansiedade.

Em um estudo científico recente, os pesquisadores comandados por Daniel Levitin analisaram os efeitos que a música causa em pacientes que estavam se recuperando de uma cirurgia. Metade deles foi submetida a um tratamento com remédios para ansiedade, já outra parcela deles apenas ouviu músicas pré-selecionadas.

No final do estudo, a conclusão foi que os pacientes que foram submetidos à música ficaram menos ansiosos do que aqueles que havia tomado remédios. Os níveis de cortisol – hormônio responsável pelo estresse – também foram menores.

Músicas que aumentam a produtividade
Já está provado “por bend + hammer-on” que a música só traz benefícios. Porém, o tipo de música que você irá escutar é 100% fundamental para ajudar a melhorar os níveis se produtividade. Por isso, antes de selecionar a trilha de uma determinada atividade, sempre considere os fatores abaixo:

- Quantidade de versos que a música possui;
- Índice de familiarização com a música;
- O quão repetitiva é a tarefa que você irá fazer enquanto ouve;
- Se a atividade desempenhada requer esforço físico ou mental.

Para atividades intelectuais, como, por exemplo, ler um livro, o ideal recomendável ouvir música ambiente, new age – ou até mesmo clássica.  Mas se o lance for fazer caminhada, malharou qualquer atividade esportiva, o recomendável é curtir rock ou até mesmo música pop.

Se for para trabalhar, a playlist ideal deve ter canções instrumentais, pois, pesquisas indicam que músicas que possuem letras podem reduzir a performance mental. Por outro lado, trilhas instrumentais podem impulsionar intensas doses de produtividade. Outros estudos apontaram que o quanto mais vozes ouvirmos na trilha, menos produtivo seremos.


Fonte: Cifra Club News / Foto: Foto/Pexels


VEJA TAMBÉM

ÁUDIOSEspecial Piatã FM - ImaginaSamba